Além da Omoda | Jaecoo, o grupo Chery tem planos de trazer mais uma fabricante ao Brasil. É a Exeed, sua divisão de luxo, que chegou a ser confirmada anos atrás pelo Grupo Caoa, o que não aconteceu até agora. De acordo com os chineses, o objetivo é trazer os carros elétricos da linha Exlantix e o Exlantix ES é um dos que estão nos planos. O sedã elétrico acaba de iniciar as vendas na China, prometendo nada menos que 905 km de autonomia.

O Exeed Exlantix ES é conhecido na China como Sterra ES e está sendo vendido em cinco versões, com preços entre 225.800 e 339.800 yuan (R$ 152.601 a R$ 229.645). É um valor até que baixo para o país, mas que não será praticado no mercado internacional. Yin Tongyue, chairman da Chery, afirmou anteriormente que o preço o sedã pode chegar a 1 milhão de yuan (R$ 675.826) no mercado global.

Para a Exeed, não é um valor fora da realidade pois a meta é posicionar-se contra as outras marcas de luxo como Audi,BMW e Mercedes-Benz em todos os países. Em alguns casos, será até mesmo oferecida como uma marca separada da Exeed, como acontecerá no Oriente Médio, Rússia e Ásia Central, onde fará sua estreia em 2024, com a promessa de ter uma linha com seis carros até 2026.

O Exlantix ES é fabricante com a nova plataforma E0X da Chery, desenvolvida especificamente para veículos elétricos. Será usada também pelo SUV ET, previsto para o ano que vem. Como é moda na China, tem uma identidade visual composta por faróis duplos, usando uma linha fina em LED na parte superior e o conjunto principal no para-choque. É bem esguio, para aproveitar ao máximo a aerodinâmica, tanto que tem um coeficiente de arrasto de 0,205 Cd. Mede 4.945 mm de comprimento, 1.978 mm de largura, 1.480 mm de altura e com 3.000 mm de entre-eixos.

Exeed Exlantix ES

Terá três opções de motorização, começando pelo motor de 185 kW (251 cv) e tração traseira, que pode trabalhar com uma bateria de 60,5 kWh ou 66,4 kWh, ambas de lítio-ferro-fosfato (LFP). A Exeed diz que a autonomia é de 550 km e 605 km, respectivamente, pelo ciclo de testes chinês CLTC. Logo acima está o motor de 230 kW (313 cv), sendo que uma usa uma bateria de 79,9 kWh chamada M3P, que combina a química da LFP com níquel-manganês-cobalto (NMC), prometendo 720 km de alcance. A outra opção é uma bateria NMC de 97,7 kWh, que alcança os 905 km de autonomia.

Por fim, no topo da linha está a versão de tração integral, com 353 kW (480 cv), bateria M3P de 79,9 kWh e 650 km de autonomia. A fabricante divulgou o número de desempenho somente da versão topo de linha, com tração integral e 480 cv, afirmando que acelera de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos.

Pelo seu posicionamento, será um carro bem equipado, começando até pelo lado de fora. Logo abaixo dos faróis principais está um display em LED interativo, capaz de mostrar informações como previsão do tempo, temperatura, ou algumas mensagens animadas. Quando estiver carregando, esse display pode mostrar a porcentagem da bateria. Por dentro, traz uma tela de 15,6 polegadas no centro e nada menos que 23 alto-falantes.

A Exeed revelou anteriormente ao Motor1.com que está planejando vender carros no Brasil, porém ainda faz estudos para entender como posicionar a marca. A previsão anterior era iniciar uma operação em 2024, o que não deve se concretizar. A ideia inicial era vender o SUV RX, com um motor a combustão, para em seguida partir para os elétricos da linha Exlantix.